Seu navegador no suporta JavaScript. Algumas funes deste site podem no funcionar.
Receba as atualizações do site por rss ou

Os Homens-Flores de Bora Bora

Os mahus, homens que tradicionalmente vivem como mulheres nas ilhas da Polinésia, têm marido, cuidam da casa e criam crianças como mães dedicadas.

Eles se definem como semifemininos e se identificam usando uma flor na orelha direita , vivendo na relativa indiferença de seus vizinhos, pois fazem parte do cenário a séculos.

Existem várias explicações para a origem dos mahus, o folclore diz que abril é o mês das meninas, por isso alguns mahus nascidos neste mês aceitam essa ideia. Já o etnólogo Bruno Sauret , professor na universidade de Papeete, a capital do Taiti , diz que a origem dos mahus vem de uma crença ligada à menstruação das mulheres, que era considerada impura.

Uma vez por mês, elas não tocavam na comida nem entravam na casa. Os homens tiveram a idéia de transformar um deles em semifeminino , para que assumisse as tarefas das mulheres. Devia ser alguém assexuado para evitar adultério.

As hipóteses sobre a história dos mahus se confundem.”Outra explicação talvez sejam as guerras tribais” continua o etnólogo. Os vencedores matavam todos os homens da tribo vencida. As mães então, disfarçavam meninos como meninas para enganar os vencedores.

Hoje não há mais guerras, mas o mahu continua existindo.
O ginecologista Etienne Baumont revela que o mahu é um iniciador sexual. Antigamente, as mulheres da aldeia que já tinham filhos faziam o papel de iniciadoras. O mahu veio substituir essas mulheres . As garotas taitianas não saem muito à noite e na puberdade são afastadas de suas famílias para evitar as relações consangüíneas.

Laure Hina Grepin , autora de uma tese sobre a adolescência masculina nas ilhas Tuamotu Orientais diz que a maioria das crianças mahus são mirradas. Elas não poderiam ser homens fortes e viris como seus pais , e ao invéz de se tornarem homens desprezados, seriam então mahus, herdeiros de uma tradição ancestral.

Grepin viveu um ano no atol de Poka Poka, onde era professora. De uma população de 40 adultos e 60 crianças , cinco adultos e 4 crianças eram mahus.
Porém a triste verdade, foi esclarecida pela Brigada de Prevenção a Delinqüência Juvenil. Noel Gicquel , responsável pela brigada , diz que os habitantes da ilha são muito pobres , morando em casas pequenas com muitos familiares no mesmo cômodo, por vezes até 15 pessoas dormem juntas , facilitando a promiscuidade, além do que a criança a partir dos 7 anos de idade é iniciada a fumar o Pakalolo, a erva local superpotente e nos fins de semana os taitianos bebem a cerveja local que é muito forte.

Imaginem os problemas quando voltam para casa, diz Noel que ficou assustado quando uma criança de 7 anos , disse que dormia de pé e encostado na parede com medo dos primos mais velhos. Policiais informam que à noite é comum turistas, a troco de um walkman ou uma camiseta, saírem com meninos vestidos de mulher, levados por seus pais Talvez uma das origens dos homens femininos possa estar aí, o ódio aos homens violentos.

As explicações para a origem e a existência dos mahus não faltam , mas nenhuma delas parece definitiva , da mesma forma a aceitação deles na sociedade é relativa. Eles fazem parte da sociedade mas parecem valer menos que os outros, geralmente trabalham em casas noturnas ou como ajudantes .de serviços gerais Vimos então diversos aspectos para o mesmo caso , o que nos faz refletir que como tudo na vida , não se deve ter uma conduta precipitada em julgar seja quem for sem pelo menos termos uma apreciação mais abrangente, para não incorremos no risco de julgarmos condutas que nos parecem estranhas.

Um terapeuta sexual , para exercer bem sua especialidade, deve respeitar e acolher seu paciente sem preconceito ou falso moralismo, para que este possa abrir seu coração e colocar para fora sua angústia

Deixe seu comentário