Seu navegador no suporta JavaScript. Algumas funes deste site podem no funcionar.
Receba as atualizações do site por rss ou

Que dicas podemos dar para um cara que vê a namorada quase como um “mármore na cama” (de tão dura) ?

Que conselhos podemos dar para que ela se mexa um pouco mais durante o sexo?

A beleza atrai e estimula o desejo porém é preciso que ambos ( o casal ) estejam presentes de corpo e alma no ato sexual . Sexo se faz com alguém e não a alguém.

Podemos avaliar esta pergunta sobre diferentes ângulos :
Lado Feminino : Avaliar o que levaria esta mulher a se comportar desta forma ?
São várias as hipóteses diagnósticas:
Vaginismo ? Anorgasmia ? Fobia sexual ? Repulsa pelo par? Homossexualidade latente?
O ato é desinteressante? O sexo é protocolar? Desejo Sexual Hipoativo ?

Assim podemos traçar uma conduta terapêutica com psicodinâmica e exercícios eróticos que mobilizem o desejo desta mulher .

Lado Masculino : Diz o ditado, quando um não quer , dois não brigam. No caso, ela não consegue se entrosar no sexo com ele, embora participe do ato . Por que ela participa , embora não se manifeste?
Será que as expectativas dele são exageradas ? E por isso , não correspondidas?

Na cama

Uma conversa franca entre o casal poderia trazer muitas informações sobre o que ocorre. Pois em tratamento de problemas sexuais , a questão , não se resume no que acontece na cama ( nada, neste caso ) e sim naquilo que cada pessoa sente , procura sentir ou não quer sentir durante a transa

Um medico sexólogo, poderia ajudar de maneira sistêmica, afastando causas biológicas, psicológicas e sociais.

De pouco vale as famosas dicas sobre uso de brinquedinhos , neste caso específico, se o histórico sexual de ambos não for falado ou explicitado .Não se pode adivinhar do que o outro precisa para gozar, se verdades não são ditas . É preciso entender o mapa erótico de cada pessoa , para que a confiança seja criada e o vínculo estabelecido. Falar , muitas vezes é mais intimo que fazer sexo.