Seu navegador no suporta JavaScript. Algumas funes deste site podem no funcionar.
Receba as atualizações do site por rss ou

Terapia Sexual e a ejaculação precoce

Dentre as disfunções sexuais, a ejaculação precoce é a mais frequentes entre todas as outras.

É um sintoma típico do homem ansioso que deseja agradar e termina por anular suas próprias sensações.

A ejaculação precoce é a impossibilidade do homem em perceber o momento inevitável que antecede a ejaculação. A ejaculação ocorre na maioria das vezes antes do tempo desejado pelo homem e algumas vezes antes da penetração.

Terapia sexual e a ejaculação precoce

Terapia sexual e a ejaculação precoce

A ansiedade causada pela angustiante necessidade em agradar ao outro, faz com que o indivíduo se afaste cada vez mais de suas próprias sensações que permitiriam uma troca erótica melhor e mais livre. Quando o homem deixa de lado suas próprias sensações para se observar a descarga ejaculatória é inevitável

Na grande maioria das vezes o tratamento só é valorizado quando o homem é cobrado pela pessoa amada, pois ate então este fato não o incomodava. Este distúrbio pode inclusive evoluir para uma disfunção erétil e ate mesmo causar uma depressão pela baixa autoestima.

Quando tem inicio na adolescência a ejaculação precoce geralmente tem como causa a ansiedade natural do jovem inexperiente que deseja agradar e que tem pouco controle de suas sensações.

Quando a ejaculação precoce ocorre na idade adulta, o problema é ampliado pelo estresse da vida contemporânea (competitiva e estressante) produzindo um desgaste emocional intenso devido a uma auto depreciação do significado do masculino dentro da relação afetiva , culminando muitas vezes com o quadro de disfunção erétil.

A ejaculação é o resultado final do investimento masculino em sua busca pelo prazer. O homem descarrega a energia libidinal em seu objeto de desejo com intuito obvio do gozo e mais ainda, da resposta satisfatória do próprio ego quanto ao prazer proporcionado a sua parceria.

Após as preliminares, a descarga ejaculatória representa para o homem o fim do objetivo que motivou o ato sexual. Neste momento (após o gozo) quando o organismo volta a seu estado normal, as questões relacionais vêm à tona e o homem procura obter um feed back de sua parceria sexual sobre sua conduta sexual.

O prazer genitalizado é ampliado após o ato sexual pela relação emocional, sendo então proporcional a satisfação do indivíduo frente a sua vida e seu corpo. O equilíbrio entre corpo e emoção, é um termômetro que mensura a qualidade de vida do homem.

Está provado que a ansiedade de performance produzida pela adrenalina (hormônio do estresse) é a grande causadora deste problema que compromete a saúde sexual do casal.

O sexo fica comprometido porque o homem ansioso não consegue se atentar para o estímulo erótico natural que é produzido pela visão do corpo feminino tal é o estado de tensão durante o ato sexual. Desta forma, a mulher percebe o sexo performático, isento do real desejo masculino, sentindo-se desvalorizada e desmotivada do vínculo.

O homem posterga o tratamento, pois considera sua rapidez nos encontros sexuais eventuais pouco importantes e sem necessidade de maiores investimentos emocionais. Em sua grande maioria, portadores da ejaculação precoce somente procuram tratamento quando vivenciam um grande amor e, portanto, consideram procedente a reclamação

Importante mencionar que a maioria dos seres humanos desde pequeno aprende a controlar e administrar sinais e sensações percebidas pelo corpo como alerta necessário (fome, funções excretoras, dor, alegria, etc.) para sobrevivência e socialização. Porém, as sensações voltadas para os genitais e para o exercício de uma sexualidade saudável não são valorizadas e muitas vezes são revestidos de tabus e preconceitos, gerando medo e ansiedade quanto ao desempenho correto.

Estudos demonstram que o homem normal demora em média quatro minutos para ejacular. A diferença está naquele que consegue durante a fase de excitação, manter a ereção por um tempo mais prolongado antes de chegar a uma ejaculação. A maioria dos homens já passou pela experiência de uma relação sexual rápida, porém satisfatória. O problema da ejaculação rápida, não é o tempo, mas a insatisfação, porque sobra a sensação de que tudo aconteceu muito rápido e de que a parceira se decepcionou.

A crença de que o orgasmo entre o casal deva ser simultâneo, para que seja considerado ideal, não procede e causa apreensão e angústia entre o par. O sexo depende de um aprendizado e deve ser encarado de forma egoísta: cada um deve tomar conta de si, porém cientes de um objetivo.

O diagnóstico de ejaculação precoce é feito durante a entrevista com o médico sexólogo, sendo importante a história da vida sexual.

Se o indivíduo tiver um relacionamento, o tratamento que dura em media de 4 a 6 meses, pode ser encurtada pela cooperação ativa de sua parceria durante os exercícios preconizados.

Durante todo o acompanhamento terapêutico o profissional sexólogo aconselha que a penetração seja evitada como forma de diminuir a ansiedade e o medo da falha. Porém exercícios de dessensibilização e as liberdades eróticas preconizadas permitem um reaprendizado das sensações que antecedem a ejaculação como forma de controle e uma melhor exploração do corpo

Algumas vezes medicamentos são empregados para diminuir a ansiedade e também para prolongar o tempo de ereção. A terapia que engloba o casal ajuda a melhorar o relacionamento, que geralmente está desgastado.

Devolver o equilíbrio emocional e a saúde sexual faz parte do trabalho do médico terapeuta sexual.