Seu navegador no suporta JavaScript. Algumas funes deste site podem no funcionar.
Receba as atualizações do site por rss ou

Quem tem medo da masturbação feminina?

Por muito modernas que gostemos de nos considerar, por muito caminho que a sexualidade feminina já tenha palmilhado, a verdade é que, até não há muito tempo, qualquer prática sexual que não tivesse o fito da procriação era vista como uma forma máxima de luxúria ou, no limite, de aberração. Pouco a pouco, os tabus vão caindo, o Homem sonha, o mundo pula e avança, e nós, mulheres, vamos podendo, finalmente, viver a nossa sexualidade como nos apetece. Ou será que não?
Tal como muitas outras facetas da sexualidade humana, a masturbação é um tabu e uma barreira difícil de transpor e normalizar. Sobretudo, se a mão que embala o (nosso) berço for delicada e feminina, isto porque, aqui d’el rei!, nos proteja a todos do vislumbre do prazer de uma mulher. E isto é tanto mais ridículo conquanto é uma ideia partilhada por ambos os sexos. Os homens, porque têm uma sexualidade infantilizada; as mulheres, porque são educadas na culpa e no pecado. E assim ficam todas as outras mulheres, mais livres ou menos atreitas ao juízo alheio, mas, sobretudo, mais escrutinadas e alvo de crítica.
E esse julgamento nem sempre é direto, objetivo. Muitas vezes ele chega-nos da cultura popular que nos rodeia. Vejamos o cinema. Quem se lembra do filme ‘Jovem procura companheira’, do início dos anos 90, em que a personagem retratada como estranha passa a ter uma moral questionável quando é vista num momento masturbatório? Também no filme ‘Corpo de Delito’, a cantora Madonna, atriz principal, é representada como uma mulher fatal, amante de um homem muito rico que morre enquanto tem sexo com ela. A cena em que ela se masturba serve o propósito de mostrar o poder sexual daquela mulher, que pode até chegar a matar. Isto, sem esquecer o ‘Cisne Negro’, em que Nina se masturba como forma de aceder ao seu lado mais cru e sedutor, necessário para a performance no espetáculo. E claro, o clássico ‘Exorcista’, em que a cena onanista de Blair é a prova cabal que está possuída pelo Diabo.

Fonte: http://www.delas.pt/quem-tem-medo-da-masturbacao-feminina/